O Núcleo de Antropologia e Saberes Plurais (NAPlus) foi criado em 2014 a partir da reunião de pesquisadores do Núcleo de Pesquisa em Antropologia Social - Artes, Performances e Simbolismo (NAPAS) e do GPAC - Grupo de Pesquisas em Antropologia do Contemporâneo – Sujeitos, Sociabilidades e Visualidades (que posteriormente foi finalizado) da Universidade Federal de Mato Grosso.  O NAPlus tem por objetivo desenvolver estudos, pesquisas e extensão com o foco na produção de conhecimento antropológico que envolva a pluralidade de saberes no contexto de populações e grupos marcados por projetos coletivos, dissidências e conflitos que compõem as diversidades étnico-cultural e de gênero e sexualidade. Além disso, visa promover intercâmbios e colaborações entre professores, pesquisadores e estudantes de diferentes áreas e níveis (graduação, mestrado e doutorado) estimulando o diálogo com outros centros de pesquisa nacionais e internacionais. O NAPlus está vinculado ao Instituto de Ciências Humanas e Sociais (ICHS) e objetiva:

 

a) investigar sistemática e comparativamente os referenciais teóricos e metodológicos disponíveis na área antropológica e afins;

b) promover pesquisas etnográficas no campo temático da diversidade étnico-cultural, de gênero e sexualidade, com ênfase nos diferentes âmbitos – local, regional e global;

c) desenvolver projetos, cursos e ciclos de extensão nas áreas da diversidade étnico-cultural, de gênero e sexualidade;

d) estabelecer intercâmbios científicos com instituições nacionais e internacionais.

Para isso o NAPlus desenvolve pesquisas nas seguintes linhas:

1 - Antropologia das territorialidades, ambientes e sociocosmologias: a linha de pesquisa abrange etnografias de diferentes concepções de territórios, paisagens; estudos de saberes, ontologias, micropolíticas e produção de sentidos; socialidades e sociabilidades em contextos urbanos e rurais;

2 - Antropologia do contemporâneo, dissidências e minorias: a linha de pesquisa abrange estudos e etnografias de relações micropolíticas, dissidências e conflitos, políticas públicas e práticas estatais que incidem sobre saúde, corporalidades, subjetivações, relações de gênero e sexualidades; movimentos sociais contemporâneos, sujeitos, Estado e políticas;

3 - Antropologia da arte, linguagem, imagem e performances: a linha de pesquisa visa o estudo das multiplicidades de teorias, a produção etnográfica e intersemiótica de formas de criação estéticas relacionais – artes visuais, musicais, cinematográficas e literárias; as diferentes teorias e múltiplas formas e criações das artes performáticas; as diversas formas e poéticas das artes verbais e literárias; estudos de cinema e produções visuais; produção etnográfica visual, fotográfica e sonora; estudos de objetos, acervos e performances em contexto museográfico, produção visual de narrativas e curadorias museais, saberes e produção de sentidos.

 

O NAPlus está associado ao Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Brasil Plural (IBP), um INCT vinculado ao CNPq, com apoio e financiamento da FAPESC, CAPES e CNPq, e reúne pesquisadores diversas instituições universitárias brasileiras, entre elas a Universidade Federal de Santa Catarina, Universidade Federal do Amazonas, Universidade Federal de Mato Grosso, Universidade Federal da Fronteira Sul, Universidade de Brasília, FIOCRUZ/AM, Universidade do Estado de Santa Catarina, Universidade do Sul de Santa Catarina, Centro Universitário Estácio de Sá/SC. O Instituto tem como missão abrigar diferentes campos e especialidades da antropologia, com o fim de desenvolver um sólido programa de pesquisas, ações educacionais e de intervenção, no âmbito de vários segmentos da população brasileira. Este largo programa de pesquisas se valerá de diferentes estratégias metodológicas, de vários campos da antropologia contemporânea e áreas afins, promovendo atividades que possam estabelecer e consolidar uma prática de pesquisa em rede, aglutinando pesquisadores, laboratórios, núcleos e pesquisadores de diferentes regiões e, a médio e longo prazo, se constituir em um verdadeiro pólo de pesquisas, formação e ações sobre e nas regiões pesquisadas.