Projetos em Andamento

Projetos em Andamento

Territórios Negros - Quilombos em Chapada dos Guimarães - Laudos Antropológicos

Descrição: Elaboração de Três Laudos Antropológicos (Relatório) para integrar o Procedimento RTDI do INCRA-MT, objeto do Termo de Execução Descentralizada entre o INCRA e a UFMT.

Período: 2017 - Atual.
Coordenadora: Sonia Regina Lourenço.
Integrantes: Moisés Alessandro de Souza Lopes, Cassiana Oliveira da Silva, Mayara Leite das Neves, Eric Timoteo Iwyrâkâ Kamikiawa, Abenízia A. Barros, Glaucia Ramirez, Nelson Rodrigues, Marina Mantovani Rodrigues de Castro .
Financiador(es): Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária - Cooperação.

Laboratório de Antropologia e Produção Audiovisual

Descrição: O curso de extensão Laboratório de Antropologia e Produção Audiovisual, ligado ao NAPlus/PPGAS/UFMT, tem por objetivo suprir uma lacuna do Departamento de Antropologia, no subcampo da Antropologia Visual, apesar de bastante consagrado dentro da disciplina. A ideia é oferecer suporte imagético ao trabalho científico dos participantes e às pesquisas em andamento no Núcleo de Antropologia e Saberes Plurais (NAPlus) que se utilizam de técnicas fotográficas e audiovisuais, atentando para as possibilidades de produção de conhecimento que essas técnicas permitem. Para tanto, será preciso oferecer aos alunos um arsenal teórico e prático, uma vez que nunca foram oferecidas disciplinas com esses conteúdos nas Ciências Sociais da UFMT, seja em nível de graduação ou pós-graduação. Com uma carga horária de 80 horas, o curso abrangerá teorias e práticas da produção fotográfica e cinematográfica, relacionadas com a produção científica em antropologia, com foco na criação de produtos como exposições fotográficas e filmes etnográficos.. 
Período: 2015 - Atual.

Coordenador: Marcos Aurélio da Silva.
Integrantes: Moisés Lopes, Sônia Regina Lourenço.

Projetos Finalizados

Diálogos e Ações Interculturais para a Cidadania Quilombola

Descrição: Ações que estabeleçam um diálogo intercultural entre os acadêmicos e a comunidade quilombola acerca da noção de cultura, memória, história, direitos sociais, saúde e arte. O objetivo das ações é desenvolver pesquisa e ações em campo de forma interdisciplinar entre os bolsistas e a comunidade visando instrumentalizar os moradores de Lagoinha de Baixo acerca das políticas públicas e dos direitos coletivos previstos nos termos referidos pelos artigos 215 e 216 da Constituição, e do artigo 68 do Ato de Disposições Constitucionais Transitórias (ACT) da Constituição Federal de 1988, propiciando aos moradores condições para pleitear junto ao Estado Brasileiro o acesso aos projetos de reconhecimento de domínio, como remanescentes das comunidades de quilombos e aos projetos de sustentabilidade, preservação e valorização de um legado, do patrimônio histórico-cultural, testemunho vivo e dinâmico da presença dos afro-brasileiros no estado de Mato Grosso e no Brasil. Para tal, as ações estarão ancoradas no estabelecimento de um diálogo reflexivo entre os saberes acadêmico e os saberes da comunidade, focalizando, especialmente a forma de elaboração dos objetos de reflexão, a articulação entre discussões teóricas e as evidências empíricas, a diversidade das operações de pesquisa, e a natureza da relação entre os(as) pesquisadores(as) e os sujeitos interlocutores da pesquisa e de conhecimento.

Período: 2012 - 2013.
Coordenadora: Sonia Regina Lourenço.
Integrantes: Isadora Quintão Tavares, Edivana Pereira dos Santos, Paulo Cesar Andrade.
Financiador(es): Universidade Federal de Mato Grosso - Bolsa.

Hierarquias, preconceitos e diversidades. A construção sociocultural do gênero

Descrição: Fortalecer o diálogo entre a comunidade acadêmica e a sociedade, representada aqui pelos professores da rede básica de ensino, no que tange à discussão dos temas das hierarquias, preconceitos e discriminação de gêneros, bem como a construção e o respeito às diversidades na sociedade contemporânea.
Período: 2013 - 2014.

Coordenador: Moisés Alessandro de Souza Lopes.
Integrantes: Neuza Cristina Gomes da Costa, Flávio Luis Tarnovski, Silvana Maria Bitencourt, Sônia Regina Lourenço, Ana Maria Marques.
Financiador(es): Universidade Federal de Mato Grosso - Bolsa.

Patrimônio Cultural e saberes tradicionais quilombolas da Chapada dos Guimarães-MT

Descrição: O objetivo principal deste projeto é mapear e identificar o patrimônio cultural das comunidades quilombolas de Chapada dos Guimarães, constituído pelos seus modos de saber-fazer que incluem as formas expressivas, os lugares, os rituais, as celebrações e seus conhecimentos tradicionais. Buscar-se-á propiciar às comunidades, as condições para pleitear ao Estado Brasileiro o reconhecimento de seus territórios como remanescentes das comunidades de quilombos e aos projetos de sustentabilidade, preservação e valorização de um legado, do patrimônio histórico-cultural, testemunho vivo e dinâmico da presença dos afro-brasileiros no estado de Mato Grosso e no Brasil.

Período: 2013 - 2014.
Coordenadora: Sonia Regina Lourenço.
Integrantes: Isadora Quintão Tavares, Danielli Katherine Pascoal da Silva, Paulo Cesar Andrade, Igor Moura Danieleviz e Silva, Jéssica Oliveira de Jesus, Vinicius Campos Mendes, Julian Junior dos Santos Barbosa, Juliana Segóvia.
Financiador(es): Ministério da Educação - Bolsa.

Reconstruindo a história do movimento LGBT na Baixada Cuiabana: Reivindicações, preconceitos, discriminações e violências.

Descrição: O objetivo central do projeto é realizar ações, estabelecer e fortalecer diálogos entre a comunidade acadêmica e a sociedade, representada aqui pelos ativistas/ongs LGBTs, no que tange à discussão em torno da história dos preconceitos, da discriminação, da homofobia, da violência e das políticas públicas direcionadas a população LGBT da Baixada Cuiabana (especialmente Cuiabá e Várzea Grande). Tal diálogo se dará em distintos momentos com: - a elaboração de oficinas presenciais com estes ativistas/ongs; - com a reconstrução de narrativas das histórias de vida de alguns ativistas que fundaram o movimento LGBT nesta região, e com ativistas que ainda hoje desenvolvem atividades vinculados a ONGs; - com a digitalização e criação de um banco de dados com materiais e documentos elaborados pelas ONGs; - com a investigação de espaços, lugares, caminhos, edificações e marcos significativos e simbólicos da memória do movimento LGBT na região; - com a produção de registro imagético e fotográfico das oficinas com a participação de ativistas/ongs LGBTs da baixada cuiabana. Todos estes diálogos terão como fim reconstruir a história do Movimento LGBT da baixada cuiabana e dar suporte a estes grupos na articulação e elaboração de políticas públicas, bem como no diálogo com o Centro de Referência em Direitos Humanos e com a Comissão de Diversidade da OAB. As atividades da equipe do projeto serão realizadas durante todo o ano de 2014, se iniciando em maio deste ano, com estabelecimento de contatos com membros do Movimento LGBT, principais interlocutores e participantes ativos na reconstrução da história do Movimento LGBT da Baixada Cuiabana.. 
Período: 2014.
Coordenador: Moisés Alessandro de Souza Lopes.
Integrantes: Henrique Araújo Aragusuku, Marcos Aurélio da Silva, Jéssica Caroline Amaral, Arilene Fonseca.
Financiador(es): Universidade Federal de Mato Grosso - Bolsa.

Relações de Gênero, memórias e patrimônio imaterial de comunidades negras em Mato Grosso

Descrição: O projeto em tela objetiva dar continuidade ao trabalho desenvolvido no projeto Patrimônio Cultural e Saberes Tradicionais Quilombolas de Chapada dos Guimarães, financiado pelo edital do PROEXT 2013, MEC/Sesu. Esse projeto realizou o Inventário de Referências Culturais da comunidade quilombola de Lagoinha de Cima. A produção do inventário teve apoio, treinamento e autorização do IPHAN na aplicação da metodologia do Inventário Nacional de Referências Culturais (INRC, PNPI). Como desdobramento deste, o trabalho de extensão pautado na política de ações afirmativas pretende focalizar as relações étnico-raciais e de gênero nas comunidades quilombolas dos municípios de Chapada dos Guimarães (Serra do Cambambi e Itambé), de Várzea Grande (Capão do Negro Cristo Rei) e de Cuiabá (Abolição). Os representantes destas comunidades solicitaram a realização de um trabalho de extensão acerca de sua cultura e de sua história. O trabalho de extensão articulado com a pesquisa-ação permite criar espaços dialógicos com as comunidades quilombolas em que estas atuam também como sujeitos cognoscentes na identificação de suas referências culturais constituídas pelos modos de saber-fazer (as formas expressivas, os lugares, os rituais, as celebrações), a memória territorial e os conhecimentos tradicionais. Os conhecimentos tradicionais são plurais e associados às hierarquias, assimetrias e diferenças que marcam as relações étnico-raciais e de gênero.

Período: 2014 - 2015.
Coordenadora: Sonia Regina Lourenço.
Integrantes: Paulo Cesar Andrade, Juliana Segóvia, Adrianna Amorinde Souza Pinto, Bárbara do Carmo Sposito, Cassiana Oliveira da Silva, Mayara Leite.

I Colóquio de Antropologia da UFMT

Descrição: A primeira edição do Colóquio de Antropologia da UFMT se realizará entre os dias 14 e 17 de outubro de 2014, promovido pelo Departamento de Antropologia e pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal de Mato Grosso em seu primeiro ano de funcionamento. O evento pretende reunir pesquisadores da área de Antropologia Social e áreas afins (Sociologia, Filosofia, História, Geografia, Direito e Ciências Sociais da Saúde) interessados em discutir as temáticas de gênero, sexualidade, sociabilidades e territorialidades numa perspectiva antropológica. Nesta primeira edição, pretende-se criar um contexto de debates sobre o conhecimento antropológico e seus diálogos com as políticas públicas com o objetivo de se analisar a construção do conhecimento teórico-metodológico da área, suas implicações e reflexos no diálogo com os diversos grupos da Sociedade Civil. Além disso, pretende-se iniciar o processo de fortalecimento e consolidação da discussão e da pesquisa antropológica no âmbito da Universidade Federal do Mato Grosso, com a participação de pesquisadores e convidados de diferentes universidades do Brasil, da Associação Brasileira de Antropologia, da Ordem dos Advogados do Brasil, do Governo do Estado de Mato Grosso e do Ministério Público Federal. A partir das discussões que serão desenvolvidas neste Colóquio pretendemos consolidar as linhas de pesquisa do Mestrado em Antropologia Social da UFMT, quais sejam: 1. Etnicidades, Territorialidades e Cosmologias ? Estudos etnográficos e comparados de povos indígenas, socialidades, cosmologias, rituais, arte e sistemas simbólicos; políticas públicas, educação e direitos; políticas indígenas, história indígena e do indigenismo; estudos de fronteiras, conflitos interétnicos, territórios, processos e direitos sobre territórios; movimentos sociais, diásporas e identidades. 2. Sociabilidades, Identidades e Subjetividades – Reflexões teóricas e investigações empíricas que têm como foco as dinâmicas socioculturais, com especial ênfase em processos contemporâneos de construção de vínculos sociais, identidades e subjetividades. A linha abrange as seguintes temáticas de pesquisa: relações de gênero e sexualidade; família e parentesco; corporalidade e marcadores sociais da diferença; cultura popular e sociabilidades festivas; performances e produção de sentidos na cidade. Além disso, visa estimular os acadêmicos dos cursos de graduação da UFMT, particularmente do curso de Ciências Sociais, para a inserção destes em projetos de pesquisa e pós-graduação, promovendo o conhecimento do fazer antropológico no contexto contemporâneo. 
Período: 2014.

Coordenador: Moisés Lopes.
Integrantes: Marcos Aurélio da Silva, Sônia Regina Lourenço.

II Colóquio de Antropologia da UFMT

Descrição: O II Colóquio de Antropologia da UFMT: Antropologias, Experiências Etnográficas e Saberes Plurais visa propiciar o debate e o diálogo entre pesquisadores, grupos e núcleos de pesquisa sobre o fazer antropológico e a contribuição deste conhecimento acerca da diversidade étnico-cultural, das relações de gênero e sexualidade, territórios, territorialidades, sociabilidades, teoria etnográfica e patrimônio cultural. Os temas do evento estão articulados com os projetos de pesquisa e extensão desenvolvidos pelos docentes do Departamento de Antropologia em contextos etnográficas com comunidades remanescentes de quilombos, povos indígenas e populações LGBTT do município de Cuiabá e estado do Mato Grosso. Os temas versam, sobretudo, acerca das questões concernentes ao patrimônio cultural, cultura popular, ações afirmativas, gênero, sexualidade e parentesco, cosmologias, artes e identidades. Além disso, buscamos por meio da 2ª Edição do Colóquio dar visibilidade a região centro-oeste, em especial ao estado de Mato Grosso, não mais apenas como uma região tomada como objeto de pesquisas, mas também como uma referência na produção de conhecimentos. Finalizando, pretende-se estimular os acadêmicos dos cursos de graduação da UFMT, particularmente do curso de Ciências Sociais, para a inserção destes em projetos de pesquisa e pós-graduação, promovendo o conhecimento do fazer antropológico no contexto contemporâneo.

Período: 2015.

Coordenador: Sônia Regina Lourenço.
Integrantes: Marcos Aurélio da Silva, Moisés Lopes.

Reconstruindo a história do movimento LGBT na Baixada Cuiabana: Narrativas de ativistas e construção de subjetividades políticas

Descrição: Tal projeto de extensão pretende dar continuidade as atividades do Projeto de Extensão intitulado ?Reconstruindo a história do movimento LGBT na Baixada Cuiabana: Reivindicações, preconceitos, discriminações e violências?, aprovado no edital PBEXT/AF 2014 que foi desenvolvido durante o ano de 2014, mas que não alcançou todos os resultados devido a diversos fatores como a realização da Copa do Mundo e das eleições que promoveu a dispersão/ ocupação dos ativistas e membros de Ongs LGBTs. Durante todo o desenvolvimento daquele projeto tivemos diversas reuniões, conversas e atividades previstas que foram canceladas pelos participantes; e, mesmo, muitas negativas de encontros. Este projeto pretende trazer à tona narrativas de integrantes do movimento LGBT da baixada cuiabana, em especial nas cidades de Cuiabá e Várzea Grande, com o fim de reconstruir a história deste movimento nesta região do interior do país e a influência da pluralização de identidades e marcadores sociais da diferença neste processo. Neste contexto, cumpre salientar a relevância deste projeto que tem por objetivo realizar ações, estabelecer e fortalecer diálogos entre a comunidade acadêmica e a sociedade, representada aqui pelos ativistas/ongs LGBTs, no que tange à discussão em torno da história dos preconceitos, da discriminação, da homofobia, da violência e das políticas públicas direcionadas a população LGBT nas cidades de Cuiabá e Várzea Grande.. 
Período: 2015 - 2016.
Coordenador: Moisés Alessandro de Souza Lopes.
Integrantes: Henrique Araújo Aragusuku, Marcos Aurélio da Silva, Jéssica Caroline Amaral.
Financiador(es): Universidade Federal de Mato Grosso - Bolsa.

Patrimônio cultural quilombola de Mato Grosso: territórios e memórias de comunidades negras

Descrição:  O projeto buscou identificar com as comunidades quilombolas de Ribeirão Itambé, Morro do Cambambi e Lagoinha de Cima, os lugares, os eventos, os saberes e as práticas religiosas, mais significativos para elas, considerando a ocupação histórica e cultural de seus territórios reivindicados como terras de quilombo. Para tal, realizamos uma série de oficinas, encontros, caminhadas e entrevistas, além de participar das assembleias. As ações de extensão puderam elaborar junto com as comunidades, dados etnográficos sobre o parentesco, o território e a memória coletiva.

Período: 2015 - 2016.
Coordenadora: Sonia Regina Lourenço.
Integrantes: Moisés Alessandro de Souza Lopes, Mayara Leite das Neves, Nayara Marcelly Ferreira da Silva, Eric Timoteo Iwyrâkâ Kamikiawa, Abenízia A. Barros, Jose Batista Franco Júnior m Patrícia Venzo Garcia Vithoft, Nelson Rodrigues, Marina Mantovani Rodrigues de Castro, Adriana Martins de Oliveira.

Troca de saberes audiovisuais: LGBTs, quilombolas e a imagem como território

Descrição: O projeto ?Troca de saberes audiovisuais: LGBTs, quilombolas e a imagem como território?, a ser desenvolvido junto ao Núcleo de Antropologia e Saberes Plurais e ao Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, tem como finalidade criar um espaço de reflexão sobre e produção de materiais audiovisuais que versem sobre os coletivos quilombolas e LGBTs do estado do Mato Grosso ? podendo com o tempo se estender a outros coletivos, como populações indígenas, comunidades rurais e urbanas, grupos religiosos, entre outros. Pensar em troca de saberes audiovisuais torna-se premente neste projeto se considerarmos que tais coletivos produzem conhecimento a respeito de si mesmos, através de imagens, que circulam de acervos pessoais a plataformas virtuais (internet). Dessa forma, na forma de pesquisa e extensão, este projeto pretende estabelecer diálogos com esses coletivos e suas imagens, ao mesmo tempo em que produtos audiovisuais serão produzidos, como documentários, banco de memórias em vídeo, acervos digitais de imagens antigas, acervos de áudio entre outras possibilidades.. 
Período: 2016.
Coordenador: Marcos Aurélio da Silva.

Universidade Federal de Mato Grosso

Instituto de Ciências Humanas e Sociais

Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social

Localização: Sala 47 ICHS-UFMT

Email: naplus.ufmt@gmail.com

Siga-nos no facebook: